“Quero-te a ti Mamã!!!”

“Quero-te a ti Mamã!!!” O meu coração fica apertado! É a frase que me faz parar! Sim, é a âncora que a minha filha lança para me alcançar quando estou longe (estando perto)! Felizmente já aprendi a não ter medo de sentir culpa, assim como a deixá-la ir… Fico a olhar para os seus enormes, deliciosos e meigos olhos pretos! “Desculpa!” digo-lhe enquanto me consolo no seu abraço! Antes deste momento tinham vindo outros momentos de birra de ambas as partes, intervalados com momentos mágicos (como chamo aos momentos em que consigo pôr em pratica as intenções Mindfulness). Foi nos momentos em que fiquei agarrada a pensamentos e julgamentos que deixei de estar conectada com este Ser: frases como “ela tem de aprender! Não pode ser sempre como ela quer! Se tivesse de cumprir horários, não podia ficar aqui à espera que se decida vestir!” Julgamentos, mitos e crenças limitadoras da nossa cultura têm mantido as necessidades de afeto e conexão na sombra. Libertemo-nos para conseguir sentir, ver, escutar, perceber, de coração aberto, o que as “nossas” crianças precisam!   A  sua resistência/oposição é proporcional à falta de conexão! As crianças precisam de conexão, ou a têm a bem, ou … Continue a ler “Quero-te a ti Mamã!!!”