appyBirthday Selena!

Queridos pais:

Esta é a carta que eu gostaria de escrever.

Esta luta em que estamos agora, eu preciso dela!

Não vos consigo dizer isso porque eu não tenho forma de o conseguir dizer e não faria sentido de qualquer maneira…

Mas eu preciso mesmo muito desta luta!

 

Eu preciso odiar-vos agora e preciso que vocês sobrevivam.

Eu preciso que sobrevivam ao meu ódio e à vossa zanga.

Eu preciso desta luta mesmo que eu a odeie também.

 

Nem importa a razão desta luta, se é sobre a hora de ir dormir, os trabalhos de casa, a roupa, o meu quarto desarrumado, as saídas ou não, os/as namorados/as, por não ter amigos, ou ter amigos de que não gostam.

Não importa.

Preciso lutar convosco sobre isso e preciso que vocês batalhem comigo.

 

Eu preciso mesmo muito que segurem numa ponta da corda para ficar firme, enquanto puxo firmemente a outra extremidade – enquanto eu encontro os suportes para me agarrar com as mãos e pés neste novo mundo em que sinto que estou!

 

Eu costumava saber quem era, quem vocês eram, quem nós éramos.

Mas agora não sei.

 

Neste momento, procuro os meus limites e por vezes só os encontro quando puxo por vocês. Quando empurro tudo o que eu costumava conhecer para o limite.

Então depois sinto que existo e por um minuto consigo respirar.

Eu sei que anseiam pelo/a garoto/a doce que eu era.

Eu sei disso, porque também eu desejo aquele/a garoto/a, e alguma desta saudade é o que é tão doloroso para mim agora.

 

Eu preciso dessa luta e preciso ver que não importa quão grandes ou “maus” sejam os meus sentimentos – eles não nos vão destruir: nem a mim nem a vocês.

 

Eu preciso que me amem mesmo no meu pior, mesmo quando parece que eu não vos amo.

Eu preciso que se amem a vocês próprios e a mim, por ambos neste momento.

Eu sei que é uma porcaria serem detestados e rotulados como os “maus da fita”.

Eu sinto o mesmo por dentro, mas preciso que vocês o tolerem e que procurem ajuda noutros adultos.

Porque eu não posso agora.

Se quiserem reunir os vossos amigos adultos para criarem um grupo de apoio tipo “sobreviver ao vosso adolescente”, tudo bem por mim.

Ou falar sobre mim nas minhas costas – eu não me importo.

Apenas não desistam de mim.

Não desistam desta luta.

Eu preciso disso.

 

Esta é a luta que vai me ensinar que a minha sombra não é maior do que a minha luz.

Esta é a luta que vai me ensinar que os sentimentos maus não levam ao fim de um relacionamento.

Esta é a luta que me vai ensinar a ouvir-me, mesmo quando pode dececionar os outros.

E esta luta em particular vai acabar.

Como qualquer tempestade, também ela irá passar.

E eu esquecerei e você esquecerá.

E depois ela virá novamente.

E eu vou precisar que se agarrem novamente à corda.

Eu vou precisar disto vezes sem conta ao longo dos anos.

 

Eu sei que não há nada inerentemente satisfatório neste trabalho para vocês.

Eu sei que provavelmente nunca vos irei agradecer por isso, ou até mesmo reconhecer o vosso esforço.

Na verdade, provavelmente irei criticar-vos por todo este trabalho duro.

Vai parecer que nada do que fizerem será suficiente.

E ainda assim, confio inteiramente na vossa capacidade de permanecer nesta luta.

Não importa o quanto eu discuta.

Não importa o quanto eu fico furioso.

Não importa o quão silencioso eu fique.

Por favor, segurem-se à outra ponta da corda.

E saibam que estão a fazer o trabalho mais importante que alguém poderia estar a fazer por mim agora.

 

Com Amor, o Vosso Adolescente”

 

Carta original https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=10154774277870791&id=409781630790

 

SUBSCREVAM AGORA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *