Hoje é Dia Mundial do Sono! Afinal para que serve Dormir?

O que precisamos saber?

Dormir é tão importante quanto beber água ou alimentar-nos, sabias?

É tão importante quanto ler, estudar ou treinar!

Um terço da nossa vida a dormir por boas razões!

Limpar a mente e fazer a manutenção para nos mantermos saudáveis!

Não consegue dormir? Comece por desligar os ecrãs 1h antes da hora de se deitar!

O que acontece quando vemos ecrãs (ex.: telemóvel, tablet, tv, pc) antes de adormecer:
A luz intensa dos fotões vinda dos ecrãs, estimulam, dizem ao cérebro para se manter acordado, para não produzir melatonina (hormona produzida quando há ausência de luz, regula o relógio biológico fazendo com que tenhamos sono à noite e mais disposição pela manhã).
Como não adormecemos, continuamos a “aproveitar o tempo” a ler/responder a e-mail a varrer as redes sociais enquanto o tempo vai passando, acabamos por adormecer, por exaustão, bem mais tarde. Se adormecermos por ex.: à 1h e acordarmos cedo ex.: 6h, teremos dormido menos do que o recomendado 7h a 9h!

Impacto:
Enquanto dormimos os nossos neurónios descansam, mas mais importante: as células da glia (de suporte) limpam as toxinas que os neurónios produziram. Esta limpeza só é possível quando permanecemos em repouso/a dormir entre 7h a 9h. (Apenas uma minoria de pessoas (5%) precisam de dormir menos.)

Dormir horas insuficiente tem impacto ao nível da diminuição:
– da atenção
– da memória
– da capacidade de resolver problemas
– dos níveis de insulina – que ajudam a regular o metabolismo. Provavelmente começamos a ganhar mais peso e a comer mais.
– É tóxico para as ligações do cérebro.
É SIMPLES:
MELHORA A QUALIDADE DA SUA VIDA, dormindo mais, tomando a DECISÃO CONSCIENTE de DESLIGAR OS ECRÃS CEDO (ex. uma hora antes de ir para a cama.)!

Sono Profundo importante para a qualidade das relações que estabelecemos.

Aguardamos estes novos dispositivos, até lá durmam bem!

 

SUBSCREVE AGORA 

As doenças dos nossos filhos (que não estão contemplados nas nossas agendas profissionais ou na gestão doméstica) são um teste às nossas inspirações parentais e intenções profissionais!
Mas mais do que isso… consomem rapidamente a nossa bateria (como algumas app. nos telemóveis)!

É óptimo quando existe rede de apoio!
Quando não existe, cá estamos com os 2 braços a cuidar de tudo o que nos é possível, com a sensação que a vida se esqueceu que não somos animais com tentáculos!

Estar a meio de uma consulta quando o telemóvel toca com o contacto da escola de um deles …

Subir com a filha mais nova ao colo (que tinha adormecido profundamente no vinda da escolinha), com as mochilas dos dois, sacos, chaves e casacos, com o guru mais velho a chorar com dores de ouvidos…

Quando adoecem no dia em que é preciso ir às compras, por estarem a acabar os bens básicos…

Esperas até ao dia seguinte na esperança que esteja melhor e lá vais com a criança sentada dentro do carrinho das compras até não caber mais nada. E, quando estás mesmo a terminar os frescos, diz-te a gritar “preciso de fazer chichi agora!”. (Valha-nos os seguranças dos supermercados que ficam a guardar o carrinho de compras). Mas isto foi só o começo, com o carrinho cheio, pede-te colo… o colo que merece que precisa (afinal está doente). Percebes os olhares “Como vai conseguir levar o carrinho cheio com a criança ao colo” … caramba se os conseguimos gerar e parir … isto fazemos com uma perna às costas! (era o que gostava de ter pensado na altura!)

Mas o cansaço da noite mal dormida, dos reagendamentos profissionais, cozinhar comidas extras mais saudáveis, das tardes de colo, mimo e histórias; da impaciência/irritabilidade das crianças (com necessidades extras), dos  cuidados de saúde (dos quais já estão fartos), já há muito que nos deixaram com a bateria a apitar por termos entrado na “reserva”!

Quando um melhora e regressa à escola, não raras as vezes, começa o outro pequenote a queixar-se com dores/desconforto…

Reviram-se os olhos, rodam-se os ombros, respira-se fundo e lá vamos nós continuar a puxar pela bateria mais um pouco.

Quando ambos regressam à escola, desilude-te se pensas que já está tudo a voltar à normalidade!

Afinal, quando carregaste as tuas baterias?

Agora não dá!” dizemos para nós próprias como a justificar-nos.

Somos como um carro quando começa com a luz a piscar, podemos tratar logo do que precisa ou “deixar andar” até ele parar! (Quase com o pensamento mágico que isso não irá acontecer connosco…)

E acredita o nosso corpo tem muitas formas de nos fazer parar … constipações, gripes, enxaqueca, dores musculares … (estas até são as mais simpáticas…) !

Cuidar de TI é tudo o que a tua família precisa! 

Cuidar de ti só depende de ti mesma!

… ninguém o pode fazer por ti!

E podes pedir ajuda:

  • aos teus filhos para que, pelo menos durante umas horas te deixem dormir/descansar (mesmo que te acordem para dar beijos e para perguntar se já estás melhor de 5min em 5 min). Se tiveres bebés, pedir ao outro cuidador para te acordar só quando for preciso mamar, por exemplo.
  • Pedir ao companheiro, à mãe para cozinhar (encomendar/ir comprar) umas refeições, para poderes ficar a descansar (a dormir ou acordada) no sofá uma tarde de fim-de-semana, numa noite, tomar um banho relaxada…ires ter com uma amiga; teres um momento contigo mesma …

Tu e eu sabemos o que cada uma de nós precisa para se nutrir … mesmo quando não conseguimos encher a bateria a 100% qualquer valor acima dos 50% já é positivo!

Ao cuidar dos outros precisamos de tempo para cuidar de nós.
Não é um capricho é uma necessidade universal!
Como pode um poço dar água se o deixarmos secar?

Já agora, como anda a tua bateria?

SUBSCREVE AGORA